Publicidade
Publicidade

Assembleia no Touro do Sertão aprova contas de Zé Chico

Compartilhe este Post

Numa assembleia marcada por polêmicas conselheiros e associados do Fluminense de Feira aprovaram as contas do exercício 2019, do então presidente e atual conselheiro, José Francisco Pinto, em reunião realizada na noite de ontem na sede da Associação Comercial e Empresarial de Feira de Santana (Acefs).

A reunião foi convocada pela diretoria atual presidida pelo advogado Ícaro Ivvin, com a finalidade de discutir e deliberar a cerca das contas do ex-presidente Zé Chico, no exercício de 2019, que de acordo com o Conselho Fiscal do clube apresentavam pendências e por conta da não apreciação das mesmas, o ex-presidente que ensaiava uma candidatura à presidência no final do ano passado desistiu de concorrer para um “mandato-tampão”, uma vez que em dezembro de 2020, o então presidente Everton Carneiro, o Pastor Tom renunciou ao cargo.

Diante da renúncia de Tom houve nova eleição com chapa única encabeçada por Deraldo Conceição, o Deraldão, que deixou a presidência do Conselho Deliberativo para concorrer á presidência executiva, se elegendo, porém permanecendo no cargo por aproximadamente 60 dias e renunciando depois uma série de desmandos administrativos. Foi realizado um novo pleito, o advogado Ícaro Ivinn foi eleito e cumpre o “mandato-tampão”, que se encerra no próximo mês de dezembro, quando ocorrerão eleições gerais tanto para a direção executiva e os conselhos Deliberativo e Fiscal.

DEFESA

O Conselho Fiscal apontou uma série de pendências referentes à prestação de contas da gestão do então presidente Zé Chico, que teve a oportunidade se defender e expor a situação da sua prestação de contas. Ao final a maioria dos sócios definiu pela aprovação das contas e o ex-presidente poderá ser candidato ao pleito, caso assim deseje, que tem previsão de acontecer até a primeira quinzena do próximo mês de dezembro, de acordo com o regimento do Fluminense.

O ex-presidente, Hércules Oliveira que é advogado, acredita que a aprovação das contas pode ser um começo de reestabelecimento da ordem no Touro do Sertão. “Houveram entraves, é verdade, mas o bom senso prevaleceu. Acredito que doravante as coisas possam se desenrolar com maior tranquilidade. Não é expurgando pessoas, que a situação do Fluminense mudará. O momento é de união e na verdade o clube precisa de todos, independente de qualquer coisa”, declarou.   

Por Cristiano Alves

Foto – Miro Nascimento

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *