Publicidade
Publicidade

Medina, Filipinho e Ítalo avançam ao round 3 e esquentam briga pelo título mundial de surfe

Compartilhe este Post

Os três surfistas brasileiros que brigam pelo título mundial de 2019 começaram de forma positiva a etapa derradeira do Circuito Mundial, na tarde desta terça-feira, em Pipeline, no Havaí, e esquentaram a briga pelo caneco. Gabriel Medina (2º do ranking) e Filipe Toledo (4º) venceram as suas baterias do round 1 e avançaram diretamente ao round 3. Segundo colocado na sua bateria, o líder do ranking, Ítalo Ferreira, também se classificou.

Os dois gringos que duelam com o trio do Brazilian Storm pelo título também passaram ao round 3. Número 3 do ranking, o sul-africano Jordy Smith foi o segundo na bateria 4, vencida pelo paranaense Peterson Crisanto. E o americano Kolohe Andino (5º do mundo) foi o vencedor da bateria 2.

Em busca do tricampeonato mundial, Gabriel foi quem teve o desempenho mais impressionante deste início de Pipeline Masters. Com dois tubões, ele somou 17.30 de 20 possíveis e levantou o público ao vencer a bateria 5 em cima do catarinense Willian Cardoso, segundo, com 7.56, e o havaiano Imaikalani deVault (6.10).

“Foi uma bateria boa, estou muito feliz com a minha performance. Eu quero pensar bateria a bateria. Estou muito feliz por estar aqui de novo brigando por mais um título, o meu terceiro título. É só manter o foco e surfar onda por onda”, disse Medina.

Filipinho foi mais econômico. Ele obteve 11.93 para superar o também paulista Deivid Silva – segundo, com 5.10, e o neozelandês Ricardo Christie, que ficou em 3º, com 2.77.

“Hoje está sendo um daqueles dias que, quando você acorda, tudo está acontecendo como deve acontecer. Tudo muito leve, muito natural Eu me sinto fantástico, estou 100% fisicamente e confiante. Meu filho estava doente na última semana, mas eu consegui manter o foco e estou feliz que venci a minha bateria do primeiro round”, comentou Toledo.

O terceiro brasileiro na briga pelo título mundial a estrear foi o líder do ranking, Ítalo Ferreira. O potiguar liderou grande parte da bateria 6, mas viu o havaiano Billy Kemper pegar um tubaço, receber 9.40 pontos e acabar vencendo, com 15.63. Ítalo ficou com a segunda colocação (10.67) e também avançou diretamente para o round 3, enquanto o cearense Michael Rodrigues ficou em 3º e foi para a repescagem, com 5.60 pontos.

Confira o cenário para o título mundial:

-Se o Ítalo vencer em Pipe, ele é campeão mundial
-Se o Ítalo ficar em 2º em Pipe, Gabriel ou Filipe têm que vencer a etapa para levar o título mundial
-Se o Ítalo ficar em 3º , Gabriel precisa ficar em 2º; ou Filipe ou Jordy têm que vencer para ser campeão mundial
-Se o Ítalo ficar em 5º, Gabriel precisa ficar em 3º; ou Filipe em 2º; ou Jordy em 1º para ser campeão mundial
-Se o Ítalo ficar em 9º, Gabriel precisa ficar em 5º; ou Filipe em 3º; ou Jordy em 2º; ou Kolohe em 1º para ser campeão mundial
-Se o Ítalo ficar em 17º ou 33º, Gabriel ou Filipe vão precisar terminar em 9º; ou Jordy em 5º; ou Kolohe em 2º para ser campeão mundial

Informações Globo Esporte

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *