Publicidade
Publicidade

Prefeito do Rio diz que atividades médicas e fisioterapia com bola estão liberadas

Compartilhe este Post

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, se manifestou sobre o plano de retomada do futebol na cidade. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, ele agradeceu aos clubes que disputam o Campeonato Carioca e disse que treinos como rachão e coletivo devem estar liberados em junho, ou seja, daqui a uma semana. Mais: afirmou que Botafogo e Fluminense, ausentes em reunião no domingo, aceitaram os termos do retorno por contatos telefônicos – a direção tricolor, porém, negou essa informação em nota oficial.

“O Fluminense vem a público esclarecer que não fez nenhum contato telefônico com a prefeitura e tampouco com o prefeito, seja para tratar da reunião em que se discutiu a volta do futebol ou para qualquer outro assunto”, diz a mensagem do clube.

Já Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente e membro do comitê gestor do futebol do Botafogo, afirmou que recebeu o contato da Prefeitura e concordou com retorno dos treinos a partir de 1 de junho e volta dos jogos em 28 de junho ou 4 de julho, dependendo da análise da curva da pandemia no município. A informação também foi confirmada pelo perfil oficial do clube em redes sociais. Horas depois, contudo, o presidente alvinegro, Nelson Mufarrej, afirmou que não há data definida para retomada das atividades do clube.

Crivella deixou em aberto a possibilidade de os jogos só voltarem em julho, como era o plano da Prefeitura. Mas, com o desejo dos clubes de retomar as partidas sem público o quanto antes, ficou decidido na reunião de domingo que será feita uma análise da curva de contágio em meados de junho. A segunda quinzena do mês, dependendo dessa análise, pode ser liberada para os eventos.

O prefeito confirmou que os dirigentes tinham a intenção de retomar os treinos – proibidos por conta da pandemia do novo coronavírus – nesta segunda-feira baseado no protocolo “Jogo Seguro”. Porém, o prefeito afirmou que nesta semana só estão liberadas atividades médicas e de “fisioterapia com bola”, conceito que pode ser utilizado pelos clubes para diferentes atividades no gramado. As partidas, sem público, de acordo com a manifestação, vão depender de análise do risco de contaminação.

Fonte: GE | Foto: Reprodução

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *