Publicidade
Publicidade

Quatro dirigentes de Grêmio e Inter que estiveram em jantar antes do Gre-Nal estão com coronavírus

Compartilhe este Post

Primeiros mandatários de clubes brasileiros de futebol acometidos pelo coronavírus, os presidentes de Grêmio e Inter, Romildo Bolzan Júniore Marcelo Medeiros, respectivamente, testaram positivo para a covid-19 nos últimos dias. Ambos estiveram em um jantar de confraternização na véspera do primeiro Gre-Nal da história da Libertadores. Eles estão em isolamento em suas residências. O colorado, inclusive, postou um vídeo nas redes sociais dizendo que está “melhorando a cada dia”.

No dia 11 de março, mais de 40 pessoas se fizeram presentes em uma churrascaria na zona norte da Capital, entre dirigentes de alto escalão dos dois clubes, as esposas dos presidentes, membros dos departamentos de futebol, funcionários de comunicação e repórteres de diferentes emissoras de rádio e televisão. Também compareceram ao encontro o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, e o presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Luciano Hocsman.

Cerca de uma semana depois, algumas pessoas começaram a apresentar sintomas da doença, como tosse, cansaço e febre. Um deles, o presidente colorado, foi afastado das atividades e submetido ao exame, que só teve seu resultado conhecido na última sexta-feira (20). O mesmo aconteceu com dois vice-presidentes do Conselho de Administração do Grêmio, Marco Bobsin e Cláudio Oderich. 

— Com certeza, pode ter sido, sim (o jantar). Tem vários casos documentados na mídia internacional de eventos em que uma pessoa estava infectada e transmitiu o vírus para uma dezena de pessoas. No Uruguai, houve um casamento. Na Coreia do Sul, 80% dos casos estavam ligados a uma igreja. A gente sabe que esse vírus se dissemina por contato físico e, por isso, que as aglomerações são um risco para a transmissão — comenta o médico infectologista Antônio Flores. 

No dia do Gre-Nal de 12 de março, não se sabe ao certo a rotina dos dirigentes infectados pelo coronavírus. Podem ter percorrido camarotes na Arena, ônibus das delegações, vestiários e concentrações. No final de semana seguinte, conviveram com as comissões técnicas e atletas em treinos e jogos da rodada do Gauchão no domingo (15).  

Também continuaram convivendo com suas famílias e amigos sem saber que estavam contaminados. O presidente gremista, por exemplo, comemorou seu aniversário de 60 anos com um churrasco, em sua fazenda, em Mostardas, no dia 14. 

— Uma pessoa ser testada primeiro não significa que ela seja a fonte. Por isso, não interessa quem foi o primeiro infectado. O que interessa é estabelecer uma rede de contatos desta pessoa e promover o isolamento social  — destaca o médico — Isso mostra como somos seres sociais e nosso contato físico acontece sem a gente perceber. Esse é um vírus que está bem adaptado aos seres humanos e a transmissão é rápida. Este é o grande problema — conclui ele.

Fonte: Gauchazh | Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *